Radiologia Brasileira - Publicação Científica Oficial do Colégio Brasileiro de Radiologia

AMB - Associação Médica Brasileira CNA - Comissão Nacional de Acreditação
Idioma/Language: Português Inglês

Vol. 37 nº 4 - Jul. / Ago.  of 2004

RESUMO DE TESE
Print 

Page(s) 306 to 306



PDF Português      

Texto em Português English Text

RESULTADOS: Dois dias após o tratamento com tamoxifeno observaram-se: 1) diminuição do volume celular, condensação da cromatina, nucléolos menos evidentes e limites nucleares mais nítidos; 2) diminuição significante da expressão da proteína Erb-B2 e aumento significante da expressão da proteína TGF-beta 1; 3) a expressão das demais proteínas (Ki-67, VEGF e ILK) não apresentou alteração no período de tempo indicado.
CONCLUSÃO: Os resultados sugerem que a análise das alterações nucleares e da expressão das proteínas Erb-B2 e TGF-beta 1 podem ser úteis como parâmetros para avaliação da resposta inicial ao tamoxifeno.

 

Padronização técnica do exame de salivograma radionuclear para o Serviço de Medicina Nuclear da Universidade Federal de São Paulo

 

Autora: Luciana Albuquerque de Souza
Orientador: Henrique Manoel Lederman. Co-orientador: Antônio Barbieri

Tese de Mestrado. Unifesp-EPM, 2004.

 

OBJETIVO: Padronizar a técnica do exame de salivograma radionuclear para ser aplicada no Serviço de Medicina Nuclear da Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina.
MÉTODOS: Doze pacientes de 14 a 42 anos de idade, de ambos os sexos, portadores de deficiência mental de grau severo a profundo, com suspeita de aspiração pulmonar, foram submetidos ao exame em dois momentos usando estanho coloidal marcado com 99mTc. No primeiro momento, a dose foi 1 mCi, no volume de 1,0 mL, e no segundo momento (24 horas após o primeiro) a dose foi de 2,5 mCi em 10,0 mL. O equipamento usado foi a gama-câmara Elscint Apex SPX4, de uma cabeça detectora. O protocolo de aquisição das imagens consistiu na obtenção de imagens dinâmicas de duas imagens por segundo no primeiro minuto, uma a cada 30 segundos por 10 minutos, cinco imagens por um minuto após 30 minutos e mais cinco por um minuto após 1 hora, o campo de visão incluiu desde a boca até o estômago. O radiotraçador foi colocado na boca dos pacientes, permitindo que se misturasse com as secreções orais. Os pacientes foram posicionados deitados com projeção oblíqua anterior direita. A interpretação dos resultados foi realizada por dois observadores independentes e um terceiro na dúvida do resultado. O teste exato de Fisher foi empregado para comparação dos dois momentos do exame.
RESULTADOS: 16,7% dos pacientes apresentaram resultado presente para aspiração pulmonar no salivograma do primeiro momento, 41,7% no salivograma do segundo momento e 8,3% para ambos momentos; 50,0% apresentaram resultado ausente para aspiração pulmonar para os dois momentos do exame. Pelo teste exato de Fisher pode-se comprovar estatisticamente que a relação entre os dois momentos do salivograma é não-significante.
CONCLUSÃO: Concluiu-se que, para o exame de salivograma radionuclear no Serviço de Medicina Nuclear do Departamento de Diagnóstico por Imagem da Universidade Federal de São Paulo, o fármaco utilizado é o estanho coloidal marcado com 99mTc na dose de 1 mCi, no volume de 1,0 mL (primeiro momento do exame realizado).


 
RB RB RB
GN1© Copyright 2022 - All rights reserved to Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Av. Paulista, 37 - 7° andar - Conj. 71 - CEP 01311-902 - São Paulo - SP - Brazil - Phone: (11) 3372-4544 - Fax: (11) 3372-4554