Radiologia Brasileira - Publicação Científica Oficial do Colégio Brasileiro de Radiologia

AMB - Associação Médica Brasileira CNA - Comissão Nacional de Acreditação
Idioma/Language: Português Inglês

Vol. 39 nº 4 - Jul. / Ago.  of 2006

RESUMO DE TESE
Print 

Page(s) 252 to 252



Qualidade de vida em pacientes tratados de câncer de cavidade oral, faringe e laringe em São Paulo: estudo multicêntrico

PDF Português      

Texto em Português English Text

Foram incluídos 256 pacientes. O índice TOI variou de 31 a 91, mediana de 72; o FACTG variou de 35 a 107, mediana de 86; o FACTHN variou de 49 a 141, mediana de 113. Em relação aos cinco domínios, as piores médias da pontuação de qualidade de vida estão relacionadas às questões que avaliam a função social e específicas em câncer de cabeça e pescoço. As variáveis que apresentaram diferenças significativas no índice TOI foram: escolaridade (p < 0,001), estado civil (p = 0,012), consumo de tabaco (p = 0,008), profissão (p < 0,001), atendimento ao público (p = 0,011), renda familiar (p < 0,001), renda e residência após o tratamento (p = 0,018), assistência em saúde (p < 0,001), estadiamento T (p < 0,001), estadiamento clínico (p < 0,001), tratamento (p < 0,001), esvaziamento cervical (p = 0,010), fibrose (p < 0,001), dentição/prótese (p = 0,042), comunicação (p = 0,002), atendimento do fonoaudiólogo (p = 0,004), atendimento do nutricionista (p = 0,002), atendimento do dentista (p = 0,014) e atendimento do psicólogo (p = 0,004). Do índice FACTG foram: escolaridade (p < 0,001), estado civil (p = 0,013), consumo de tabaco (p < 0,001), profissão (p = 0,001), situação profissional (p = 0,005), atendimento ao público (p = 0,033), renda familiar (p < 0,001), renda após tratamento (p = 0,011), residência após tratamento (p = 0,022), tratamento (p = 0,018), fibrose (p = 0,022), comunicação (p = 0,012) e atendimento do psicólogo (p = 0,006). Do índice FACTHN foram: educação (p < 0,001), estado civil (p = 0,008), consumo do tabaco (p = 0,008), profissão (p < 0,001), situação profissional (p = 0,014), atendimento ao público (p = 0,004), renda familiar (p < 0,001), renda após tratamento (p = 0,008), residência após o tratamento (p = 0,022), assistência em saúde (p = 0,005), estadiamento T (p = 0,005), estadiamento clínico (p = 0,008), tratamento(p < 0,001), fibrose (p = 0,001), comunicação (p = 0,002), atendimento do fonoaudiólogo (p = 0,047), atendimento do nutricionista (p = 0,023), atendimento do dentista (p = 0,016) e atendimento do psicólogo (p =0,008). Na análise multivariada observou-se que mais fatores sociodemográficos e socioeconômicos (estado civil, consumo de tabaco, profissão, situação profissional, renda após tratamento, tratamento e atendimento da psicologia) são importantes para a definição da qualidade de vida global (FACTG); e mais fatores clínico-funcionais (estado civil, consumo de tabaco, profissão, tratamento, fibrose, traqueostomia e atendimento da psicologia) são importantes para a definição da qualidade de vida funcional (TOI). Os fatores sociodemográficos e socioeconômicos, bem como os clínico-funcionais (estado civil, consumo de tabaco, profissão, situação profissional, renda após tratamento, tratamento, fibrose, atendimento psicológico e odontológico) influenciam igualmente a qualidade de vida global específica para o paciente com câncer de cabeça e pescoço (FACTHN).

Este estudo sugere que a reabilitação funcional, social e específica é fundamental para a melhora da qualidade de vida destes pacientes.


 
RB RB RB
GN1© Copyright 2022 - All rights reserved to Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Av. Paulista, 37 - 7° andar - Conj. 71 - CEP 01311-902 - São Paulo - SP - Brazil - Phone: (11) 3372-4544 - Fax: (11) 3372-4554