Radiologia Brasileira - Publicação Científica Oficial do Colégio Brasileiro de Radiologia

AMB - Associação Médica Brasileira CNA - Comissão Nacional de Acreditação
Idioma/Language: Português Inglês

Vol. 38 nº 5 - Sep. / Oct.  of 2005

ORIGINAL ARTICLE
Print 

Page(s) 343 to 346

Comparison between radiological techniques and doses used in Brazil and in Australia

Autho(rs): Ana Cecília Pedrosa de Azevedo, Kouther Elhaj Mohamed Mohamadain, Otolorin Adelaja Osibote, Arnaldo Levy Lassance Cunha, Antonio Pires Filho

PDF Português

Texto em Português English Text

Keywords: Entrance skin dose, Radiodiagnosis, Effective dose, Dosimetry

Descritores: Dose de entrada na pele, Dose efetiva, Radiodiagnóstico, Dosimetria

Abstract:
OBJECTIVE: To compare radiological techniques used in Brazil and in Australia, and to evaluate radiation doses of the most common x-ray procedures. MATERIALS AND METHODS: The entrance skin dose (ESD) and the effective dose (ED) were obtained with the software DoseCal. In both countries the study was conducted in large public hospitals. Four distinct procedures were evaluated: chest, abdomen, pelvis and thoracic spine in three views (anterior-posterior, posterior-anterior and lateral) In Australia, all x-ray equipment are digital and linked with PACS whereas in Brazil conventional equipment is used. RESULTS: The mean values of ESD and ED were consistently higher in Brazil, except for chest x-rays. The higher differences were seen in pelvis (26 fold higher in Brazil) and thoracic spine (43 fold higher in Brazil) radiographs. CONCLUSION: All Australian hospitals have quality assurance programs (QAP) implemented on a permanent basis, the most advanced digital equipment and count with an effective medical physics service. These factors are determinant for high quality images, low rejection rates and low doses imparted to patients when compared to Brazilian standards. Theses results reinforce the need of implementation of quality assurance programs in Brazil. However, when analyzing the results of ESD for chest x-rays, we concluded that low doses can also be achieved in Brazil with the use of appropriate x-ray techniques.

Resumo:
OBJETIVO: O objetivo deste trabalho é fazer um estudo comparativo das técnicas radiográficas entre o Brasil e a Austrália e avaliar as doses de radiação para os exames radiológicos mais comuns. MATERIAIS E MÉTODOS: A dose de entrada na pele (DEP) e a dose efetiva (DE) foram obtidas com o uso do programa DoseCal. Em ambos os países, o estudo foi realizado em hospitais de grande porte da rede pública. Quatro tipos de exames foram avaliados: tórax, abdome, pelve e coluna torácica em três projeções (ântero-posterior, póstero-anterior e lateral). Na Austrália, todos os equipamentos são digitais e operam no sistema PACS. No Brasil, os aparelhos são convencionais. RESULTADOS: Os valores médios da DEP e da DE são consideravelmente mais altos no Brasil, exceto para os exames de tórax, cujos resultados indicaram índices menores. As maiores diferenças encontradas foram para os exames de pelve (26 vezes maior no Brasil) e de coluna torácica (43 vezes maior no Brasil). O mesmo acontece para os valores da DE. CONCLUSÃO: Nos hospitais australianos, os programas de controle e garantia de qualidade (PCGQ) fazem parte da rotina nos serviços de radiologia. Contam com equipamentos digitais de última geração e os serviços possuem uma equipe de física médica atuante. Esse conjunto de iniciativas resulta na produção de imagens radiográficas de alta qualidade, com baixas doses e índices de rejeição próximos a zero. Tais resultados apontam para a necessidade de se estimular a implantação de PCGQ em toda a rede hospitalar brasileira. No entanto, analisando os resultados de DEP nos exames de tórax, concluímos que doses baixas também são possíveis no Brasil se forem empregadas técnicas radiográficas adequadas.

Available only in Portuguese

 
RB RB RB
GN1© Copyright 2022 - All rights reserved to Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Av. Paulista, 37 - 7° andar - Conj. 71 - CEP 01311-902 - São Paulo - SP - Brazil - Phone: (11) 3372-4544 - Fax: (11) 3372-4554